Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

7

Mario Quintana - Os poemas

em 5 de dez de 2008.

Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhoso espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...


Comentário: Eis mais um poema de Mário Quintana a povoar o blog. Eu gosto muito do estilo do autor de escrever os seus versos, utilizando formas razoavelmente simples, mas com muita precisão e, especialmente, com muita musicalidade; em alguns aspectos formais me lembra muito Drummond, mas com um pouco mais de lirismo.

Esta poesia me parece muito interessante. Sei que talvez não interesse tanto aos leitores, mas eu, como escritor, gosto muito dos poemas que falam um pouco do fazer poético, da inspiração. Acho um tema fascinante, mas ainda não tenho uma opinião formada sobre ele.

Sem dúvida alguma, Quintana foi um poeta que acreditava nessa força oculta que nos impele a produzir; numa experiência quase divina de autoconhecimento, em que criamos algo que nem nós sabemos de onde veio. A inspiração seria algo nascido do próprio poeta, desconhecido, porém belo; um momento em que buscamos dentro de nós as respostas para as questões mais complexas do mundo e as exteriorizamos numa espécie de transe, uma experiência mística e particular. Neste poema, Quintana nos mostra como esta inspiração não necessariamente depende de algo que você escreva. Ele nos revela que cada poesia é capaz de tocar cada pessoa e despertar nela o seu lado lírico; torná-la poeta sem sequer ter escrito uma palavra. Os poemas seriam, portanto, como mensageiros capazes de acender a chama da inspiração em cada pessoa, fazendo-as externalizar a sua própria visão de mundo, transmitir a cada obra um pouco de sua subjetividade.

Na minha opinião, este é um dos temas mais interessantes do fazer literário. E como todo tema essencial, a resposta parece ser mais uma questão de fé do que de evidência. Ou se acredita na inspiração ou não se acredita; não há como comprová-la.

7 Comentários:

Anônimo

Aprendi adimirar os poemas nos meus 36 anos,sabe no brasil nós deichamos de ver a poesia como cultura.

Anônimo

Muito boa sua análise. Esse anônimo aí de cima nos comentários provavelmente gosta tanto de poesia que resolveu desconstruir a Língua Portuguesa. Se "nós deichamos de ver a poesia como cultura", é por pessoas como ele que engolem as palavras e soltam barbaridades como essa. Realmente ele é um apreciador nato de boa poesia. Palmas!

Anônimo

Muito boa a observação do segundo anônimo , mas " Na ponta do lápis " deveria tomar para si a correção de tamanho absurdo !!!! me refiro obviamente ao primeiro anônimo.

Anônimo

ele também errou a palavra admirar, que foi escrita por ele como 'ADIMIRAR'

Anônimo

Análise excelente, obrigada!
E já que os outros comentários preocuparam-se tanto em corrigir de forma grosseira e sem respeito, também me sinto no direito de expor minha opinião.
O primeiro comentário realmente tem alguns erros de português, porém ao invés de atacá-lo com criticas nada construtivas, que tal ser mais pacientes e corrigi-lo com respeito que todos merecem, sendo assim, muito provavelmente da próxima vez que ele escrever um comentário ou qualquer outro texto, seja mais fácil que o faça com mais atenção!
OBS: Também acho que se nascemos e fomos alfabetizados com a língua Portuguesa, o Mínimo seria falar e escrever corretamente, porém com tudo que já sabemos sobre nossos governantes e políticas para educação, a situação não é tão simples assim!
Então vamos ter RESPEITO com o próximo!

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger