Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

5

Poema de Amigo - Sobre a Estrutura

em 31 de jul de 2009.

Este poema é de um amigo. Ele me mostrou, eu achei muito bom e pedi para postar por aqui. Espero que vocês gostem também e deixem o seu recado. Eu achei o poema muito bom. Gostei especialmente da primeira estrofe, algo que me lembrou um estilo levemente simbolista. Na realidade, pareceu-me um estilo que leva um toque de Cecília Meireles, mas em versão masculina. E vocês, o que acham?


Sobre a estrutura

Em nossas armaduras,
tão cheias de buracos,
vazamos a tintura,
desses sonhos opacos.

Começamos em forma.
Quimeras em perfeição.
Tudo então deforma
lágrimas, lama, chão!

Nossa estrutura cai.
Não se sustenta,
a rima tenta,
mas rui em emoção.

O poema, o poeta,
a métrica, a razão,
tudo frágil, desaba:
lama, lágrimas....

Solidão.

5 Comentários:

Igor

Essa idéia de tintura e ilusão e tambem a fragilidade da identidade do ser humano é um tema abordado pela Cecília Meireles,como é fácil quebrar as barreiras e armaduras que fazemos envolta de nós mesmos pra nos "proteger",acho que o poema trata bem isso.

Bernardo

realmente é bem legal, mas me parece mais neoconcreto, pq a forma da poesia é alterada pelo que ela diz, pq na primeira estrofe e na segundo tudo rimava perfeitamente, mss na terceira, quando a 'estrutura cai', as rimas ficam meio que perdidas e são colocadas como que soltas e sem uma ordem própria e nem tudo rima, como 'cai', 'desaba' e 'poeta'. Bem legal! abraço!

Leonardo Schabbach

Mas isso não é necessariamente neoconcreto. Tem, na verdade, certa relação de metalinguagem. Só por ser metalinguístico não quer dizer que seja neoconcreto =D

oleparido

Tive a mesma impressão. Lembrou-me Cecília.

A quebra da idéia de proteção que a armadura retrata é muito bem percebida.

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger