Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

5

O pássaro e a árvore

em 28 de ago de 2009.

Um pequeno pássaro azul voava por um imenso jardim - um jardim tão grande que para o pequeno pássaro era impossível o atravessar em uma única viagem. Ele já estava quase exausto, precisava urgentemente de um lugar em que pudesse descansar; precisava recuperar as suas forças para fazer uma nova tentativa. Não muito distante de onde estava, havia uma árvore alta e robusta, um local certamente muito aconchegante. Ele se preparava para o pouso, mas foi surpreendido.

A árvore, logo que o viu, fez um movimento estranho. Com um de seus galhos, atirou-se contra a pequena criatura. O pássaro deu um giro no ar, desviou por pouco, assustado. O que era aquilo? Pensou. Mas não teve muito tempo para entender o que acontecia. A árvore realizou uma nova investida. Ele girou no ar por mais uma vez, escapou ileso, ainda mais cansado. Sabia que, se aquilo continuasse, não duraria muito tempo. Voou em direção à árvore, passando com agilidade por entre as folhas e os galhos: pousou. No lugar onde estava não podia ser atingido. A árvore se sacudia ameaçadoramente. O pequeno pássaro se encolheu, tinha medo de se mover, medo de sair dali. E se ela o acertasse?

Permaneceu parado por mais alguns dias, não se atrevia sequer a piscar, não movia um músculo. Era melhor não se arriscar, era mais seguro permanecer ali, a salvo. E foi o que fez.

Com o tempo, foi se tornando parte da árvore. Primeiro as pernas, depois o corpo, depois as asas, até que um certo dia não passava de dois olhinhos incrustados no tronco.


Comentário: É um texto curto, espero que agrade. Para aqueles que gostam de mini-contos, há aqui no blog um projeto chamado "Cadernos do Homem Comum" que pode interessar, sugiro que leiam desde a postagem mais antiga. Vocês podem conferir por aqui também alguns contos do livro "Contos Plausíveis" do Drummond. Desfrutem!

5 Comentários:

Leo Meirelles

Muito bom o conto, Leo!
Melhor estilo fantasia... Sendo eu, você já imagina que visualizei um desenho animado em minha mente, né?! Hehehe! Um dia ainda faço isso.
Parabéns e continue com seus textos inspirados e inspiradores.
Abraço!

Bruno Cardoso - oJornalista

Oi Leonardo!
Fico muito feliz que você tenha gostado do meu blog! Ele ainda está engatinhando, mas estou muito entusiasmado com ele.
Obrigado mesmo pelos elogios e saiba que são recíprocos! Gostei muito do seu blog também! Você escreve muito bem!
Parabéns pelo blog!
Abraços!

Lih

Gostei! Adoro fantasia. Adoro metaforas. Adoro contos! Deu contade de pintar a cena! Parabéns! Beijos

Leonardo Schabbach

Valeu pelos elogios. E também adoro fantasia, volta e meia arrisco coisas nesse sentido. Acho a fantasia a melhor parte da ficção, mas isso é opinião pessoal, claro.

Vail

Olá Leonardo, tudo bem?
Que conto legal. E há muita coisa legal por aqui, vai demorar um poquinho até ver tudo. Parabéns pelo "Na Ponta dos Lápis", está ótimo. Estarei acompanhando suas opiniões aqui, suas sugestões de leitura e contos. :)

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger