Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

0

Cidade Grosseira

em 2 de out de 2009.

Comentário: Eu jurava que já tinha colocado este poema aqui no blog. Entretanto, procurei, procurei, procurei e não o encontrei. Então resolvi postar. E não, não é uma ironia pelo Rio de Janeiro ter sido escolhido sede das Olimpíadas 2016. Espero que gostem, é um poema bem antigo, do tempo do A palavra-homem. Tem um tom mais leve, mais rápido, talvez mais cordel, mas acho que ficou bom, sempre gostei dele.


Cidade Grosseira

Cidade Grosseira,
tão cheia de olheiras,
cansada de brigas,
almas intrometidas.
E há tanta mágoa
nessa luta contínua
entre as pessoas amadas
e as que são excluídas.

Cidade grosseira
tão vil, tão cruel,
de fresco e macio
só tens o teu véu
que encobre a disputa
entre a terra e o céu.

Cidade grosseira.
Cidade desigual.
Cidade brasileira,
ou cidade mundial?

0 Comentários:

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger