Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

7

Quando Criança

em 7 de dez de 2009.

Houve uma época em que eu podia voar.
Podia atravessar muros.
Podia enfrentar dragões.
Podia salvar donzelas
e matar mil feras;
ou derrotar o mais terrível dos vilões.

Tudo pelo prazer de imaginar.

Já hoje, não tenho o mesmo tempo
nem tenho a mesma força de vontade.
Tenho apenas as pontas dos meus lápis,
que, ao menos por enquanto,
permitem que eu escreva.


Comentário: este é um poema mais simples, mas gosto muito dele principalmente pelo fato dele ser bem sincero, de mostrar um pouco de mim mesmo, coisa que não costumo fazer tanto quanto escrevo. Espero que gostem desse, por mais singelo que seja =)

7 Comentários:

Bianca Barreto

Oi, Leandro!

Que poema lindo! Fico de todo contente pela qualidade poética que há no Brasil, que bom. Passa no meu blog, sou Poetisa! Estou construindo um cantinho para todos lermos poesia pura, de alma.

Abraço!

Divulga de gostar
Vossa Poetisa


Bianca.

Leonardo Schabbach

Bom que gostaram, como eu disse, estava meio receoso quanto a este poema. Agradeço aos comentários.

E Bianca, meu nome é Leonardo, heheh, não Leandro =)

Marcos Paulo

Ah cara, se esse poema fosse rebuscado não ia ter graça, né? Faz parte da beleza dele não só o conteúdo, mas também a forma, afinal, criança é ingenuamente sábia e simples, criança gosta de brincar e de ser o que é, se fosse de outro jeito, ia ser coisa destas crianças precoces chatas que querem ser adultos.
É isso aí, Leo...gostei pacas, bem maneiro mesmo!!!
Abraço forte

LL

Olha, eu gostei muito do teu poema! Não o achei nada simples. ele consegui transportar-me para um tempo já distante e cheio de sonhos e fantasias!

Parabéns!

Abraços
Luísa

Talita Guimarães

Olá,

que belo poema!
Gosto de falar em infância e ainda mais escrever. É como quando você fala que hoje o que nos resta é a ponta dos lápis e um pouco de imaginação para retornar a essa fase tão inspiradora.
É exatamente dessa forma que volto a ser criança. Escrevendo para elas, revivo a criança que fui e é quando posso guardar e ao mesmo tempo compartilhar um pouquinho desse tempo.

Gostaria que visitasse o blog que mantenho:
http://www.ensaiosemfoco.blogspot.com
e a postagem
http://ensaiosemfoco.blogspot.com/2010/01/reflexao-em-foco.html

Abraços e parabéns por esse espaço.

Talita Guimarães

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger