Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

7

Como publicar de forma independente, dicas de Barbara Dewet

em 24 de jun de 2010.

Hoje trago uma entrevista muito legal para vocês leitores do blog. Todos sabemos - e já cansei de dizer por aqui - que a vida de escritor é difícil, que são poucas as editoras que apostam em novos autores; o mercado é muito fechado e, para piorar, pequeno, o que significa que mesmo uma publicação por uma boa editora não garante uma exposição real para o autor. A vida de quem escreve é, de fato, difícil, mas nos últimos tempos há quem aposte na produção independente. Como disse na minha última postagem (veja Os e-books anunciam o fim das editoras?) esta é uma rota muito complicada. Entretanto, ela pode ser possível, se o autor souber como se destacar, seja por meio de propaganda, seja por meio de seu trabalho.

A entrevista de hoje pretende demonstar um pouco disso, mostrar que, seja você um autor independente ou um autor publicado por uma editora comercial, se batalhar por seu espaço, sabendo usar as ferramentas que estão à sua disposição, você poderá alcançar um sucesso inicial que pode ser benéfico para uma futura carreira como escritor. Esta é a mentalidade de Barbara Dewet (@babidewet), entrevistada da vez e dona de um espaço virtual muito interessante, que trata de literatura, resenhas e muitas outras coisas (tem muitas promoções por lá, para quem gosta): trata-se do blog da Babi Dewet, dêem uma olhada - hoje tem uma postagem interessante sobre o sucesso do André Vianco, que alcançou 500 mil exemplares vendidos, algo incrível para um escritor nacional.

Barbara Dewet começou no mundo das Fan Fics, criando seu próprio sistema para a publicação deste tipo de história, e o implementado em um site (http://fanficaddiction.com.br/), hoje muito movimentado. Depois, criou o seu próprio espaço na internet, assim como uma conta no twitter. Com tudo isso, conquistou uma série de leitores e seguidores, o que abriu espaço para uma publicação independente - que promete ter um sucesso considerável, se levarmos em conta o cenário literário brasileiro. Enfim, leiam a entrevista com atenção, há muita informação interessante:


O seu livro foi baseado em uma fanfic. Embora você tenha de ter executado algumas mudanças por causa de direitos autorais, você manteve esse caráter de fanfic do texto ou mudou radicalmente a história? Onde foi preciso realizar mudanças?
R: Mantive o caráter do meu texto. Mudei poucas coisas - os personagens acabaram se modificando bem pouco e por isso tive que acompanhar toda essa mudança. Mas em um geral, a história permanece com a mesma essência. Nada de mudanças radicais.

Suas histórias (fanfics) sempre foram postados apenas no seu blog ou anteriormente - e quem sabe ainda o faça - publicava em outros sites?
R: Nunca postei em meu blog pessoal. Sempre ficou hospedada no www.fanficaddiction.com.br, um site criado por mim e algumas amigas há alguns bons anos para hospedar o tipo de história que fazíamos. Diferente de outros sites, a gente utiliza scripts para que o leitor possa usar seu nome e características na história.


De onde surgiu a idéia da criação do blog? Quanto tempo ele tem de existência?
R: Sempre gostei de escrever. Quando mais nova tinha um blog básico para falar o que estava achando sobre a vida. Com o tempo mudei o foco para fansites, porque gosto de compartilhar as coisas. Isso é o que mais me atrai no fato de ter um site. Passar informações, achados, notícias... acho que meio me faz sentir parte de todo mundo que visita. Acabei criando meu site pessoal no final do ano passado para conhecer melhor o mercado, os fãs, leitores e poder me divulgar também.


O movimento no blog tem crescido? Ele tem lhe ajudado a conquistar novos leitores? Se possível, fale de algumas estratégias de divulgação.
R: O movimento cresce com a divulgação. Se tem uma coisa que aprendi tendo sites, dando aulas e pesquisando é o poder do marketing. Uma pessoa que sabe se vender e vender seu produto se dá bem no mercado que quiser ingressar. Com parcerias, comentários, colaborações, promoções... tudo facilita o aumento do número de visitas e faz com que as pessoas passem a te conhecer. Mas tem que fazer da forma certa. Sem forçar. Se gostam de você é um possível leitor. E então minha função está sendo bem exercida. Felizmente meu blog/site tem me ajudado a conquistar leitores dessa forma. As pessoas estão tendo oportunidade de me conhecer e conhecer o que faço. Hoje tenho um mínimo de 300 visitas no site por dia e mais de 57 mil visitas ao todo. E falamos aqui de seis meses de site pessoal.


Vocês está produzindo o seu livro de maneira independente. O que a motivou a fazer esta escolha?
R: Tive inspirações. Fui em uma palestra do autor André Vianco e o ouvi falar da sua batalha em lançar independente, mas o quão prazeroso foi. Sei que pode dar muito trabalho, mas estou disposta. Os autores brasileiros não ganham muito pela venda de seus livros e muitas vezes pode não valer a pena o esforço de tê-los escrito. Sábado à Noite é uma história que cresceu comigo. Antes de entregar nas mãos de alguém eu quis testar meu potencial.


Quais as dificuldades que você vê para o autor que tenta se lançar no mercado esta maneira? Alguma idéia de como superá-las?
R: A maior dificuldade provavelmente é a divulgação. O autor às vezes escreve bem, é criativo, mas não sabe se relacionar com o público. Ou quando sabe, não faz idéia por onde começar. A melhor forma é começar por algum lugar! Nem que seja preciso distribuir os primeiros capítulos do seu livro e deixar que as pessoas te procurem depois. A idéia é começar!


Como você tem utilizado o seu blog literário para ajudar na vendagem do livro? Ele tem ajudado muito na pré-venda de exemplares?
R: Faço divulgações quando posso, sempre comento no Twitter, mas não obrigo ninguém a respirar meu livro. Dou liberdade. O blog tem ajudado sim na minha divulgação e dessa forma as pessoas se interessam pelo que escrevo e faço. E com isso, claro, ajuda a vendagem no livro. Como não comecei a vender - só a registrar cadastros para pré-venda, ainda estou começando a ter uma idéia. Mas posso te informar que tenho mais de 600 cadastrados e isso é uma ótima notícia prum autor independente!


Como você vê o surgimento, com cada vez mais força, de um número cada vez maior de blogs sobre literatura?
R: Vejo de forma positiva. Acho que isso só indica que mais pessoas estão lendo e se interessando pelos livros. Desde o menor blog ao mais visitado. Se o objetivo de todo mundo é ler, mover o mercado, estimular a criatividade... acho positivo. 


Alguma dica para os novos escritores?
R: Minha dica é: escreva pra você e ao mesmo tempo pensando no seu público. Pesquise. Converse com as pessoas, se interesse pela vida delas. Personagens reais e bem elaborados são muito mais fáceis de serem escritos e de terem uma relação com o leitor. E quando for divulgar sua história, deixe bem claro sobre o que se trata e a que público se destina.

7 Comentários:

thipen

É verdade, cada vez surgem mais e mais blogs sobre literatura. Isso é muito bom para nós escritores iniciantes porque temos mais fontes de pesquisa, leitura e inspiração.

@_thiagoneves_

Karlinha

Nossa, Não conhecia seu blog mais amei. Quanto a Babi, adoro ela. Ela é minha amiga e sei o quanto ela batalha e batalhou,
Parabéns amiga

Luiz dreamhope

Já ouvi falar no site há alguns anos. E se não me engano, eu a sigo no twitter. Legal essa entrevista. Ela é mais uma guerreira entre aqueles que batalham pelo seu espaço.

Paul Law

Leonardo e Barbara,

Este post sem dúvida é o melhor que eu pude ler aqui no blog! Dicas sensatas e coerentes sobre o mercado literário independente.
Desejo à Barbara muito sucesso com seus escritos e que continue com seu sonho contagiante! Eu a entendo bem, pois também sou autor independente e comungo da mesma opinião: é trabalhoso, difícil de se divulgar, mas é gratificante. Acho que a força dos sonhos supera as desavenças que se afiguram em nosso caminho. Escrevemos para nós, mas antes de tudo para as pessoas, é o que penso também (igual a entrevistada)

Parabéns ao entrevistador e à entrevistada!

Um abraço

Israel Teles

Exemplos de quem luta por aquilo que acredita são sempre inspiradores. Desejo sucesso a ela.
Grande abraço!!

Cerrados

O nosso pais precisa deste tipo de aitude,a parcela menos beneficiada deveria ser bombardeada com mais informativos asseciveis deste tipo!!!

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger