Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

5

Ano Novo

em 30 de dez de 2010.

Fiz um poema esses dias aproveitando a temática do ano novo. Gostei do resultado, não sei se ficou super bom, mas acho que ficou bem trabalhado; acabei colocando algumas coisas a mais nele, numa espécie de brincadeira. Não sei se irá agradar muito a vocês, mas ao menos importa a mensagem. Espero que todos realizem muitas coisas no próximo ano. Particularmente, não vejo tanta importância na data, mas acho importante o que ela representa, tentei também colocar isso no poema. Enfim... Feliz Ano Novo!!


Ano Novo

Ano novo:
uma combinação poderosa de palavras.

Ano novo
é esperança.

Ano novo
é graça.

Ano novo é a espera por uma vida mais farta.

Ano novo é um sonho
para um pobre menino,
que vive perdido
e abandonado,
mas que segue sorrindo;
ele está fascinado,
um novo ano vem vindo.

E quem sabe não seja um ano promissor,
quem sabe não seja um ano diferente,
quem sabe as pessoas não mudem,
e se tornem mais humanas,
tratem-no como gente.

Quem sabe um dia a vida melhore
e se torne mais justa
sem a presença do "não".

5 Comentários:

marcos nunes

(Leonardo, sem querer te chatear, mas já te chateando, peço que apagues a mensagem anterior, pois o porema saiu truncado; abaixo, a versão correta)

O mundo acabou de novo

O mundo acabou em um dia assim
que de dizia Novo, quando era apenas
Mais Um. Foi nesse dia final, onde e
quando tudo começou outra vez, sem
que nunca tivesse de fato acabado, perdido
no infinito cujo nome mais belo seria
Caos, cuja palavra menos precisa seria
Criação, cujo sentido alcançaria em algum momento
a Verdade, essa quimera da qual hoje
nos rimos, foi nesse dia que decidimos:
agora podemos dizer que
o mundo acabou em um dia assim
sob a ressaca do mar e do álcool. Capitulamos
e nos embrenhamos nesse Jardim das Delícias.

Leonardo Schabbach

Tá, feito o que você pediu. E gostei muito desse poema, bem melhor do que o meu, hahaha.

marcos nunes

Ih, cara, foi uma puta coincid~encia; eu tava escrevendo mais um romance idédito para sempre, e um personagem, poeta, comete os tais versinhos. Escreve mais aqui e ali, cansei e fui vasculhar meus sites de costume na Internet, e vi teu poema de ano novo, tão avesso ao poema escrito em um romance que trata não do final dos tempos, mas do Tempo que acabou, "posmodernamente" falando. Bá, vou tascar o poeminha na página do Leonardo!, pensei e agi, tão apressadamente que depois o percebi truncado. Corrigido, reenviado, agradeço o comentário e complemento. Prometo não fazer de novo!

Leonardo Schabbach

Pode fazer de novo, cara, sem problemas. Tanto postar o poema quanto pedir para corrigir. Afinal, se tenho um blog devo cuidar dele e dos leitores também!

Abraço, e feliz ano novo.

FONTE DE LUZ

OI,ADOREI OS POEMAS ATÉ COPIEI DOIS SÃO MUITO BONITOS.......................................

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger