Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

2

Entrevista com o autor Paul Law, confiram o lançamento de "La Bandida"

em 8 de dez de 2011.

Hoje trago uma entrevista bem legal com o autor Paul Law (@Paul_Law), publicado pela Mutuus Editora. É uma momento muito legal o vivido pelo escritor, que, em muito pouco tempo, teve duas obras lançadas por editoras diferentes (recentemente, o livro Xeque-Mate foi lançado pela editora Multifoco). No próximo sábado, o autor fará um dia de lançamento de sua obra, La Bandida, na livraria Nobel de Mogi Guaçu. Abaixo deixo a imagem do convite, para que todos os interessados possam saber todas as informações e conferir este momento de perto (quem sabe adquirindo sua obra da mão do autor).

La Bandida é um livro de leitura bem rápida. É uma obra bem curta, com todos os elementos típicos das histórias de faroeste americano. O objetivo do livro e do autor é de justamente entreter o leitor, numa obra feita para se ler em "uma sentada", como muitos dizem. Possui uma linguagem leve e divertida, com inserções dos próprios personagens na narrativa. A trama é bem direta, embora não seja montada de forma linear, utilizando-se da técnica do flashback. Como falei, a leitura é bem rápida e agradável, interessante para quem curtir o gênero.

Abaixo, como sempre faço, segue uma entrevista com o autor. Há alguns pontos bem interessantes a serem observados. Espero que gostem!




- Entrevista com o autor -


 Quando decidiu que iria se dedicar aos livros? Quando percebeu que tinha o dom para se tornar um escritor?
R: Não faz muito tempo que decidi me dedicar aos livros. A possibilidade surgiu em 2009, como lançamento do meu primeiro livro, quando ganhei a publicação por causa do sucesso da história que eu tinha escrito. Perceber o dom para ser um escritor, acho que aconteceu na mesma época. Sempre gostei de escrever e fazia por diversão, mas agora, além da diversão, faço com maturidade e vontade de me consolidar como escritor.    


Como tem sido essa sua busca por espaço no mercado editorial? Conte-nos um pouco de suas estratégias e de seus sucessos.
R: Minha batalha é árdua, como a de qualquer novo escritor do país. Procuro identificar outros escritores que estão lutando para conseguir ser lidos e os apoio, pois, antes de ser escritor, sou um leitor. Nisso, estes escritores, que também são leitores de qualidade, me ajudam com meu livro. É uma troca que acontece de forma natural. Um contato, uma menção, uma parceria, tudo é importante para nós escritores novos, é o que penso. Bem, não sei especificar uma estratégia, mas posso dizer que faço tudo com muito empenho e crença de que dará certo. Acho que acreditar no trabalho é fundamental e parto deste pressuposto. Peguei as obras que eu tinha escrito, revisei e mandei para as editoras que achei que combinavam com o meu perfil de escritor. Tenho certeza que as que aprovaram meus originais para publicações foram as melhores! O meu sucesso posso dizer que se resume nas vezes que recebi a notícia de que o original foi aprovado. É a melhor sensação do mundo, pois são editoras e há milhares de originais que recebem. Ser aprovado é uma vitória.     


Quantos livros já lançou em sua carreira literária? Como foi a recepção das obras?
R: Lancei dois livros até o momento. A recepção foi boa e sempre recebo comentários positivos sobre os livros lançados. As obras vendem, são lidas em versões gratuitas que disponibilizo na internet, pois acho importante ser lido. Resenhas, opiniões e pedidos de continuações são coisas que fazem o escritor ter a certeza de que tudo valeu a pena. Os nossos passos são muitos, mas um passo dado é um a passo a menos para ser dado.    


E La Bandida? De onde surgiu a idéia para o livro?
R: La Bandida é um livro especial para mim. Nele, eu pude experimentar muitas ideias que tinha. Pude colocar em prática uma história veloz, intensa e com a possibilidade de saber o que a personagem pensa no decorrer dos acontecimentos. É legal falar de como a ideia surgiu! Ela aparece quando eu assisti a dois filmes: “Kill Bill” e “Os Jovens Pistoleiros”. Pensei em uma história que unisse os enredos dos dois filmes e La Bandida começou a nascer em minha mente.   


Conte-nos um pouco mais sobre a obra, sobre sua visão a respeito de suas características e qualidades.
R: O livro narra a aventura de uma pistoleira em busca de vingança e até aí não há muita inovação. Entretanto, o recurso de conferir os pensamentos da personagem, unido à intensidade da história conferem efeito interessante à obra. Estando nos pensamentos da personagem o leitor pode observar de perto as mudanças e o amadurecimento que acontecem com ela; podem se sentir como ela se sente. Penso em La Bandida como um livro com características cinematográficas e feito na medida para ser lido de uma vez.


Como têm sido a recepção do público?
R: Tem sido ótima. Acho que, como falei antes, dado os passos que já foram dados, estamos numa fase muito boa. Leitores já se interessam por conhecer o livro novo. Outro fato interessante que tenho observado é que o pessoal gostou muito da edição, visualmente falando. O texto trabalhado pela editora está atrativo também. Estamos no começo do trabalho, mas tem sido animador.


E como têm sido as preparações para o lançamento?
R: Correria! Estou acertado os detalhes finais e na expectativa para que tudo corra bem. Tenho que agradecer aos leitores próximos e a amigos escritores que me ajudaram a conseguir o espaço para o lançamento.


Por fim, pode dar algumas dicas aos novos escritores que acompanham o blog?
R: O que posso sugerir é que continuem a escrever, sempre. Editoras novas que valorizam autores iniciantes, meios alternativos de publicação, a internet são possibilidades para realizar o sonho de ser escritor. Acho que quem tem este objetivo possui muita chance de alcançá-lo hoje. Claro que é preciso empenho; estudar para aumentar a qualidade do seu texto e correr atrás. É preciso ter em mente também que ninguém faz sucesso da noite para o dia, ainda mais sendo escritor no Brasil. Nem que aparecerá uma editora que fará tudo por você.  Entretanto, para ser escritor de sucesso, temos que começar sendo escritor.       



- Confiram a sinopse da obra - Veja no site da editora

A pequena Helena, ainda jovem e inocente, presencia a morte de seus pais. Um assassinato a sangue frio cometido por um perigoso pistoleiro. A cena marca a sua infância e a coloca em uma cruzada para vingar a morte de seus entes queridos.

Uma aventura clássica, rápida e emocionante, típica das histórias do Velho Oeste americano. Uma narrativa capaz de mostrar que nem sempre somos motivados pelos melhores sentimentos - e que eles talvez nem sempre nos levem pelos melhores caminhos.

2 Comentários:

Paul Law

Leonardo, a correria ficou evidente até mesmo na entrevista. Acabei errando algumas palavras na hora de respondê-la, mas tudo bem...

Obrigado pela oportunidade de expor o meu trabalho!

Abraço!

Leonardo Schabbach

Paul, eu tentei corrigir algumas coisas que vi, é que também postei na correria. Vou dar uma revisada e deixar a entrevista bem limpa.

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger