As Aventuras de Pi é plágio da obra de Moacyr Scliar. Divulguem!

Antes de entrar exatamente no que quero falar, deixe-me explicar a situação para quem ainda não a conhece. As Aventuras de Pi, livro mais do que premiado, que gerou a adaptação para o cinema, adaptação essa que faturou quatro estatuetas do Oscar ontem, trata-se de um plágio descarado da obra Max e os felinos, do autor brasileiro Moacyr Scliar.

Leia Mais

5

Jogos Vorazes: o filme (comentários)

em 16/04/2012.

Não faz muito tempo que trouxe aqui para o blog uma resenha sobre a Trilogia Jogos Vorazes, da Suzanne Collins (confira aqui o texto). Hoje, venho trazer minhas impressões a respeito do primeiro filme da saga – imagino que, seguindo o padrão dos livros, nós tenhamos três.



Devo dizer que foi mais do que interessante poder ver o mundo criado pela autora nas telas do cinema. Ainda mais legal foi ver a abordagem feita em terceira pessoa pelo filme, que difere da narração em primeira pessoa que temos no livro. Devo admitir que inicialmente fiquei preocupado, porque há muitas coisas muito interessantes na obra da autora, nos pensamentos de Katniss Everdeen, a personagem principal, que não poderiam ser passadas às telas, por causa da limitação da terceira pessoa. E, de fato, isso acontece sim em alguns momentos. Aqueles que não leram o livro e forem assistir ao filme terão alguma dificuldade em entender um ou outro pequeno ponto da história, como alguns flashbacks. Perde-se também alguns raciocínios importantes da Katniss, assim como partes interessantes do personagem de Peeta e da relação entre ele e a personagem principal.

No entanto, como alguém que leu os livros, eu gostei muito da abordagem em terceira pessoa. Primeiro, porque, através dela, foi possível mostrar muitas coisas que ficaram de fora do primeiro livro, coisas que a Katniss não poderia saber e que agora nós sabemos. Segundo, porque muitas dessas coisas são eventos políticos e conspirações que, caso tenham lido minha resenha sobre a obra, são a parte mais interessante de Jogos Vorazes. Portanto, achei genial que eles tenham sido capazes de colocar essas questões políticas com força já no primeiro filme, algo que eu não esperava, e que tornou tudo muito mais interessante: tanto para mim, um leitor da trilogia, quanto para os não leitores nas salas de cinema.

Há de se destacar também as atuações de Jennifer Lawrence (Katniss), que consegue passar muito bem as sensações e sentimentos da personagem, de Stanley Tucci (Caesar Flickerman), simplesmente espetacular como o engraçado e perspicaz apresentador de televisão, de Woody Harrelson (Haymitch), que faz jus ao que é, na minha opinião, o melhor personagem de toda a saga, e de Elizabeth Banks (Effie Trinket), que está sensacional no papel da peculiar dama da capital.

Enfim, como quase todas as críticas que vi pela internet, venho também aqui elogiar este primeiro filme da trilogia. É, realmente, uma obra muito interessante para aqueles que não leram o livro, por toda a ação e todas as questões políticas presentes na tela, e uma grata surpresa aos fãs da série, que podem não só ver toda a história tomar forma, como também acompanhar situações que não tinham como ter aparecido nos livros.



Alguns outros pontos de destaque na visão de quem leu o livro:

1 – Podermos ver os Gamemakers (aqueles por trás de tudo que acontece na arena) em ação. Isso é algo que ficou de fora do livro e que é bem legal de se acompanhar.

2- A narração e comentários dos jogos feitos por Caesar Flickerman. Achei isso realmente bem interessante, por ser outra coisa que não está presente no livro. Também foi um jeito incrivelmente inteligente de passar alguns informações difíceis de se passar em terceira pessoa, como, por exemplo, toda história envolvendo as “tracker jackers”.

3 – A cena de Jennifer Lawrence quando diz “Obrigado pela sua atenção”, é claro.


Momento bizarro:

1 – Lenny Kravitz no papel de Cinna (WTF?), hahaha.

5 Comentários:

Adrianna Alberti

Ahh eu vi primeiro o filme, depois corri para ler os livros, achei uma adaptação bem feita, e o que falta de explicação sobre o universo dos livros ficaram ótimos na cobertura de Ceaser dos Jogos, ambientando o que não deu para explicar de todo.

O filme é super bem produzido, fora as cenas de gamemakers, a "sala de comando" que no final das contas senti falta nos livros... muito bom, espero que mantenham a qualidade

Luiz Teodosio

No geral, eu achei o filme positivo. Opinião de quem acabara de ler o livro poucas horas antes de assistir o filme. lol

folhetim semanal

Olá, somos a equipe de um blog que planeja resgatar a essência dos folhetins. Te convidamos a nos seguir no twitter @FolhetimSemanal e nos adicionar no facebook 'Arena FS', lá você encontrará mais informações sobre o nosso projeto, prólogos e atualizações sobre novidades no blog!

Agradecemos.
"Os autores"

CMachado

Acho super valido fazer adaptações de livros...
Gosto muito de ver na telona!
Não li ainda Jogos..., porém achei a história o filme ok.

Mas, aquele troço de todo mundo dormir, depois não conseguirem subir na árvore, aliá inverte. Não conseguirem subir em árvore, e depois todos dormirem.
E uma coisa que me irrita profundamente a câmera mexendo na hora do combate, que chato. Ou seja, na segunda parte do filme.
Daí fico a pensar, depois dizem que não é filme adolescente. A história pode ser p/ crianças, mas daí entra muita coisa em se tratando de filme...

Não podia filmar nitidamente cenas muito violentas por conta da faixa etária? Não sei posso ta falando besteira, mas achei quase infantil bem pre adolescente mesmo...
abç

Isie Fernandes

Amei o filme! Há algumas diferenças do livro, claro, mas fiquei satisfeita e mal posso esperar pelo segundo.

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger