Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

9

Há momentos em que só pode haver arte

em 11 de mar de 2013.

Há momentos em que só pode haver arte. Não há felicidade, nem tristezas, mas há sentimento, há uma força incompreensível que nos empurra à criação. É como se na alma algo se inquietasse, algo se revoltasse e trouxesse à tona a total potência do espírito humano. É como se o próprio corpo se rebelasse e entrasse em um paradoxal estado de calmaria e de inquietação. Tudo, de uma hora para outra, parece diferente, tudo parece mudado, como se nos fosse possível enxergar a tessitura do mundo; como se, de repente, a vida nos presenteasse com novas cores, com novos sons e com novas formas. É como se um universo inteiro se apresentasse e só pudesse ser representado por um momento único e puro de criação.

E, assim, o artista se movimenta. Assim, o artista cria. Não por vontade própria, mas por necessidade; por causa de uma mão invisível que o guia, que o estimula a crescer e a produzir. Uma vontade que o aproxima do mundo e também o isola, transformando-o em personagem e, ao mesmo tempo, em espectador. E dessa vontade, surge uma nova visão, uma nova forma de aprender e de lidar com as coisas; e nasce, assim, a singularidade de um verdadeiro criador. E dessa experiência particular e explosiva, surgem também novas imagens, novas esculturas, novas canções e novas poesias; como se, por um momento, o mundo se desvelasse, deixando resplandecer toda a sua plenitude através de cada detalhe de cada obra e de cada momento singular de cada autor.

9 Comentários:

Marvini

Excelente texto. Fico feliz pelas postagens do blog, está dando gosto de acompanhar este ótimo blog.
Comentando a respeito sobre o texto, acho que você descreveu bem como a arte é sublime, é incrível e surreal. Bem dizia um dos meus filósofos favoritos, se não o, Friedrich Nietzsche: Temos a arte para não morrer da verdade. Não consigo imaginar uma forma de vida racional sem arte, apesar de arte e razão nem sempre caminharem na mesma direção, estão sempre ligadas, por uma linha fina porém consistente, caminhando juntas.

Karina Aguiar

Muito bom, Leo! Você tá cada vez melhor. Continue assim! Os comentários sobre o tema abordados nós já discutimos rs. Niti!

Leonardo Schabbach

Valeu, Marvini! Muito legal saber que tem gostado das postagens! =)

E, Kari, fico muito feliz em saber que tem gostado mais dos textos!! Valeu pelo comentário ;)

Leonardo Schabbach

Legal, cara. Lembrei de você por esses dias, porque estou preparando mais conto do Donatelo! =)

Lih

Eu li pelo celular e acabei nao comentando como esse texto me tocou! "uma vontade que aproxima o mundo e tambem o isola". amei, Leo, parabens! Emocionante.

Tiffany Noélli

A arte realmente guia as pessoas a ter mais inspiração na vida. Você citou algo verdadeiro que nem sempre o artista é só feliciade ou tristeza. É outro estímulo que o gua, aquele dom bonito mesmo. Veja o exemplo do van Gogh, a época que mais pintou bem foi nos momentos mais difíceis que ele passou, então ele decidiu se expressar dessa forma artística. E por isso, ficou emortalizado. Bjs e seu Blog é lindo e de bom gosto.

Leonardo Schabbach

Valeu! Que legal que o texto te lembrou do Van Gogh. É, pra mim, uma das histórias mais interessantes e profundas entre os artistas.

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger