Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

5

Poesia - Sinceridade

em 9 de jun de 2009.

Para continuar a movimentar o blog, aqui vai uma poesia simples, rápida e irônica; bem bonitinha e com aquele tom musical de que gosto muito. Acabei fazendo também uma pequena modificação, cortando a parte inicial que achava desnecessária - e que, de acordo com o próprio poema, deveria ser cortada, não é mesmo? Leiam e julguem vocês, espero que gostem.


Sinceridade

Não existe um verso mais perfeito
do que aquele repetido ano a ano.
Aquele verso que a gente diz sem jeito.
Aquele verso que se chama "Eu te amo".

5 Comentários:

Bernardo

eu não sei, sinceramente não sei. Será que é assim? Eu sempre achei que os poetas devem dizer isso sem ao menos tocar na palavra amor. E o mais legal da poesia é saber dizer 'eu te amo', elogiando, por exemplo, um lápis, ou um mundo possível qualquer. Acho que o poeta tem que ver o 'eu te amo' em todas as coisas como se o mundo fosse essas constante frase e nada no mundo fosse outro coisa senão um louvou à sua amada. O poeta para mim é meio paranoico, meio perturbado, porque é afligido por sentir o mundo como se fosse de papel e por isso vê toda a sua fragilidade, e por isso ver o amor em tudo, como a coisa mais frágil das coisas, mas ao mesmo tempo mais presente e própria das coisas. Enfim, filosofia de bar, heheheahehe, goste da poesia! abraço!

Bernardo

eu escrevi com um monte de erro... ehehehehehehheeh, mas foi sincero hehehe, sem graça...

Leo Schabbach

Ah, mas isso depende do poeta =D. E eu não me referia aqui necessariamente a poesia, falava da vida mesmo. Mas acho que na poesia deveria ser algo assim também, a poesia critica um pouco os poetas românticos e os parnasianos também, hehhe, talvez por isso a discordância!

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger