Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

19

Divulgue seu livro e publique de graça: uma análise do Bookess

em 22 de abr de 2010.

Esta postagem é para fazer uma rápida análise do serviço oferecido pelo site Bookess e também para trazer uma novidade que ele apresentará. O Bookess é um site em que você pode colocar o seu livro para que as pessoas leiam: é possível optar por colocá-lo já pronto ou então seguir escrevendo nele ao longo dos dias para que seus leitores possam acompanhá-lo. Devo admitir que a segunda proposta é mais interessante, ainda mais porque a ferramenta deles de leitura é muito agradável e pode ser embutida em seu blog. Desta maneira, fazendo uma boa divulgação e contando também com a própria divulgação do site, é viável alcançar um bom número de leitores e os fidelizar, com atualizações constantes. Mas agora tem mais!

A partir do mês que vem, o Bookess também permitirá que os livros lá apresentados sejam vendidos por intermédio do site, da mesma maneira que o Clube de Autores e a AG Books (Editado: há uma diferença. Por serem editora, na Bookess todos os livros disponibilizados para a venda possuirão ISBN). Aqui no blog, vocês podem conferir duas postagens em que falo sobre este tipo de serviço (Publique seu livro de graça e Usos possíveis do Clube de Autores). Agora, o Bookess fornece um serviço diferenciado, por sua origem vir justamente da possibilidade de você colocar o livro no site - através de uma ferramenta muito legal em que o texto é visualizado como "livro físico" - e divulgá-lo. Isso significa dizer que, além de publicar a obra por lá, você poderá promovê-la. Além disso, tal possibilidade pode ainda vencer um dos principais problemas que eu apontava na venda de livros literários pelo Clube de Autores: a falta de credibilidade. Como qualquer um pode colocar sua obra à venda no site, ninguém tem como garantir que a qualidade do texto é boa, que as idéias são originais. Com a ferramenta do Bookess você poderá criar um arquivo com parte de sua obra para que os compradores visualizem, leiam, confiram por eles mesmo a qualidade e comprem.

Esta nova fase do site deve entrar no ar no início do próximo mês, quando haverá a montagem de uma loja virtual. Assim como os outros sites do gênero, o autor ficará com uma porcentagem por obra vendida e receberá seu dinheiro quando atingir o valor de 100 reais. É algo que não é tão fácil, como ponderei nas postagens anteriores sobre o assunto. Porém, sabendo planejar e pensar em quais são seus objetivos, pode ser uma ferramenta útil, ainda mais com a maior facilidade de divulgação. Para terem uma idéia, o livro mais visualizado por lá tem mais de 12 mil visitas. E há muitos outros com mais de 5 mil. Naturalmente, essa possibilidade de divulgação acabará por gerar um número maior de vendas. Vale checar!

19 Comentários:

Adriano Vinagre

Excelente. Internet vem expandindo cada vez mais as possibilidades de divulgação de novos autores.

Anna

Bem, eu concordo que dentre as opções apresentadas o bookess leva medalha de ouro, mas eu discordo quando vc diz que a plataforma de leitura é agradável. Eu não acho. Pra letra ficar legível eu sempre ponho em Fullscrem o que pra mim é péssimo, pois me limita. Eu estou aguardando ansiosa as mudanças. Bjooo

Leonardo Schabbach

Mas é para ser lido no full screen mesmo. Não sei se reparou, mas, quando você coloca no modo full screen, você pode dar zoom in e zoom out, de modo que pode achar o tamanho ideal para a sua leitura. Eu, particularmente, gostei muito. Bjs ^^

Madalena

Boa apresentação do produto! Bom site.
Mas se podem ser lidos gratuitamente, pergunto o que voces esperam como vendas?
Sem esquecer o baixo custo do livro digital.
Algumas páginas à mostra seria justo para o comprador avaliar, tanto p/ o autor quanto o vendedor.
Abraços

Leonardo Schabbach

Só para avisar, não é um produto meu, hehe, estou só apresentando. Primeiro, o autor não precisará postar o livro inteiro de maneira digital, ele pode, depois do livro terminado, ir postando aos poucos e criando leitores, para depois de tê-los criado, oferecer o livro (sem tê-lo colocado por completo na internet).

Agora, uma coisa que o pessoal do Bookess poderia fazer é disponibilizar também uma opção de venda de E-books. O autor poderia vender por muito menos e eles têm conversão para Kindle, que com o tempo se popularizará no Brasil. Pode ser uma boa idéia para eles implementarem. Assim, os autores também terão a possibilidade de vender o e-book, além, é claro, de disponiblizar os livros de graça.

Já sobre os autores: há ainda uma terceira possibilidade. Por exemplo, deixar um livro inteiro gratuito disponível e, com os leitores gostando muito dele, vender um outro livro, sobre outro tema, ou continuação, caso se trate de uma saga.

Enfim, cada autor precisa usar a criatividade, mas que é bem mais fácil conquistar os leitores criando essa relação de postar os textos com periodicidade é. O autor pode até já ter o livro pronto, mas vai postando os capítulos lá aos poucos, divulgando o livro e em uma determinada hora pára e vende o produto. Claro que, se for fazer isso, antes de parar do nada é bom avisar o pessoal que acompanha a história de que provavelmente ele não poderá postar ela toda lá, já que a transformará em livro no futuro. É bom ter uma relação sincera com o seu leitor.

tita coelho

Leonardo,
A Bookess vai fornecer registro de ISBN e ficha catalográfica ou o autor vai precisar correr atrás disso? A lei proibe a venda de livros sem esse tipo de regidtro, tu sabes como vai funcionar?

Leonardo Schabbach

Não. Imagino que não vá fornecer o ISBN nem ficha catalográfica, mas não posso garantir. O que posso garantir é que não há nenhum problema legal em vender livros sem, tanto que o Clube de Autores e a AG Books já fazem este mesmo serviço já faz algum tempo. Não sei como eles contornam a situação, mas sei que não há impedimentos legais, ou tanto o Clube de Autores quanto a Ag Books já teriam os enfrentado.

tita coelho

Leonardo,
LEI Nº 10.753, de 30 de outubro de 2003
Institui a Política Nacional do Livro. No capítulo III artigo 6.
"Na editoração do livro, é obrigatória a adoção do Número Internacional Padronizado, bem como a ficha de catalogação para publicação. Parágrafo único. O número referido no caput deste artigo constará da quarta capa do livro impresso."

Se é obrigação, penso que não pode ser comercializado.

Abraços

Leonardo Schabbach

Sim. Quando você falou que por Lei precisava do registro, certamente havia um parágrafo na lei dizendo isso, o parágrafo que você colou aqui. A questão é que 2 sites já fazem isso faz um bom tempo (talvez mais de um ano, não sei) e não houve problema. Isso significa que deve haver uma brecha.

Uma interpretação simples seria dizer que você não está proporcionando um serviço de editoração, mas de impressão por demanda, como um cartaz ou afim, o que não requer a ficha catalográfica nem o ISBN. Se o Clube de Autores já faz isso faz algum tempo, certamente há uma brecha.

Madalena

Leonardo

Obrigada por responder. Pensei que vc era parte do grupo.
Hoje escrevi para eles.
Na verdade tenho um livro editado , com ISBN, e meu interesse é vende-lo pela internet, como livro digital. E parece que essa não é a proposta da Bookes então?
Vc conhece algum site que faça este serviço?
Obrigada, bjs

Leonardo Schabbach

Madalena,

Diz que quer vender como e-book apenas? Porque, tendo o livro pronto, com ISBN e tudo, acho que ainda assim poderia colocá-lo no Bookess para vender. Só porque eles não fornecem essas coisas para você, não significa que você não possa tê-las ao colocar o livro por lá.

Agora, se quiser vender só como e-book, você pode disponibilizar o livro através do UOLpagseguro e Pay Pal, embora isso vá lhe dar mais trabalho e tenda a ser mais difícil de fazer a venda, já que as pessoas não terão muita credibilidade. Uma terceira opção seria procurar uma editora especializada em venda de e-books; acho que já encontrei algumas por ai.

E, por último, ao Tita, depois vou procurar o pessoal da Bookess e perguntar a eles a questão que você levantou.

David - Scriptus

Leonardo:

http://www.bn.br/portal/?nu_pagina=38

Constar ISBN, assim como ficha catalográfica, é obrigação da Editora sim. Não há brechas e os livros não podem ser comercializados.
Existem "Editoras" que atuam dessa maneira? Sim. Mas é uma questão de princípios: se você se propõe a editar, é necessário que zele pelos direitos de autor, além de ser obrigação legal clara.

Leonardo Schabbach

Sim, mas vou repetir o que já disse para você(s) antes, esses sites não são editoras, o autor não assina contrato com eles nem nada. São prestadores de serviço ao publicarem o livro por demanda. Não fazem processo de editoração, é como uma gráfica mesmo, só que com uma loja virtual. Esse é um mecanismo novo ao qual a lei, como acontece sempre que há grandes evoluções técnicas, a internet por exemplo, ainda não está adaptada.

É um serviço já prestado pelos dois sites que citei mais de uma vez aqui na postagem faz um bom tempo; então, repito novamente, os advogados deles devem ter encontrado alguma brecha, pois, o Clube de Autores, por exemplo, já possui um reconhecimento grande e já teria, por isso, enfrentado problemas legais se de fato houvesse alguma irregularidade.

Acho que o erro de vocês é pensar no serviço como uma editora. Não é. São sites que permitem a impressão por demanda, somente isso. Só que, de maneira criativa, eles dão aos autores a possibilidade de publicar seus livros para 1) Chamar a atenção de editoras de fato e fechar contrato ou 2) Disponibilizar a venda para amigos, sem grandes pretensões.

Já fiz dois artigos sobre isso aqui no blog, mostrando como são ferramentas interessantes, mas que não substituem, de modo algum, as editoras convencionais; apenas ajudam o autor a angariar novos leitores, a chamar alguma atenção também, para quem sabe assim ser publicado por uma editora comercial. Leiam as duas postagens antigas e verão.

Além disso, como eu já falei antes, vou passar a pergunta de vocês para o Bookess (talvez também para o Clube de Autores). Só não acho que nós devemos fazer acusações aqui. São serviços já estabelecidos no mercado, portanto devem ter pensado neste problema que você levantou e o solucionado, isso se ele sequer existe, já que não falamos aqui de editoras. A dicussão, porém, é boa.

Por sinal, vale esclarecer aos leitores do blog que, apesar de dois comentários com nomes diferentes, o questionamento é feito pelo mesmo grupo, dois amigos (posso classificar assim?) que realmente entendem o mercado editorial.

Leonardo Schabbach

Ah sim, David, esqueci de mencionar. Também já linkei aqui na postagem sobre o Clube de Autores, e linko de novo, um alerta interessante da Laura Bacellar sobre essas "Editoras" que você cita (leiam o artigo aqui).

Como eu falei antes. Esses sites não são editoras, são apenas ferramentas para que o novo escritor ganhe o seu espaço, experimente o seu livro, teste a recepção do público - há outros usos possíveis também, como cito na postagem Usos possíveis do Clube de Autores.

Divulgar Site

Muito bom o conteúdo deste post. A cultura brasileira agradece! Agora para quem precisa divulgar blogs, sites novos e promover sua marcar procure o Espalhando! Obrigado!

Phallos

Já havia levantado essa questão do ISBN em outros comentários, embora não tenha utilizado a lei, e sim o bom-senso: isso seria o mínimo para autores que não gastam nada para se publicar (a não ser que queiram comprar exemplares de seu livro) mas também não veem os saites gastarem um único centavo em sua promoção. Pelo contrário, são os autores que promovem esses saites, que incham cada vez mais.

Leonardo Schabbach

Como disse, entrei em contato com Ag Books (mesmo sistema do Clube de Autores) e Bookess. Ambos falaram que comentariam por aqui, embora ainda não o tenham feito.

Mas basicamente a Ag Books é como eu disse, um serviço de impressão por demanda (e só, uma ferramenta diferente a qual as pessoas ainda não estão acostumadas, que pode, porém, ser muito útil; mas não há como cobrar que façam coisas que uma editora faria, já que não são editora, são como uma gráfica).

O Bookess não. O Bookess é editora mesmo. O dono do site informou que todos os livros disponíveis para a vendagem lá terão sim o ISBN.

LC

OI Leonardo, é um prazer conhecê-lo, bem como seu trabalho.

Entrei em contato com a Bookess por intermédio de uma amiga escritora, a Madalena Barranco.Que por sinal escreveu a orelha do meu livro que já foi editado e publicado. Agora, a proposta de vocês é extremamente interessante e inovadora.

Eu tenho a pretensão de publicar uma coletânea de contos e crônicas, mas ainda não registrei nada no ISBN. Mas pelo que a Madalena me informou vocês fazem este trabalho. De qualquer forma vou me interando do seu trabalho e gostaria de mais detalhes sobre o que penso em fazer.
Podemos conversar via email?
leregostar@gmail.com
Obrigada

grande abraço

Lucia Helena O. Cavichioli

Leonardo Schabbach

Olá, Lucia Helena. Gostaria só de ressaltar que o Na Ponta dos Lápis é apenas um blog.

Não sou um dos donos do Bookess, se quiser tirar mais dúvidas, entre em contato direto com eles.

Boa sorte e grande abraço.

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger