Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

12

Poemas dos leitores - Isabel Furini e Franciele Minoto

em 21 de jun de 2010.

Na última semana entreguei os resultados do Mini-concurso Drummond de Poesia, realizado pelo Na Ponta dos Lápis. Hoje, posto mais dois poemas que chegaram após o período de inscrição para o concurso, mas que me agradaram muito. Ambos têm uma construção muito interessante e um trabalho legal com a palavra. Achei que vocês leitores gostariam, por isso decidi publicar. Leiam, desfrutem e emitam suas opiniões!


O processo de Kafka
Por Isabel Furini

Gárgulas procuram o Processo
e o misterioso Castelo de Kafka.


Gárgulas ferozes
conspiram no silêncio,
escalam as muralhas
e descobrem invisíveis paredes de pedra e solidão.

Medos instintivos
voam por ruas ignoradas,
poeirentas,
em uma cidadela de fracassos
e desamor.

Cobras de emoções envenenam antigos alfabetos
e invadem os livros de Kafka,

                                         (triunfantes)

reeditam o processo

                                         (eterno)

no labirinto do tempo.



O Corpo
Por Franciele Minoto

Eu não te amo;
Meu corpo te ama.
Amor sudorêico,
Inundado de ocitocina, endorfina, serotonina, prostaglandina, dopamina.
Estrogenizado,
Androgenizado,
Agoniado; e
Amargurado.
Eu não te amo,
Meu corpo te ama.
Taquicárdico; dispnéico;
Ruborizado;
Vasodilatado;
Lubrificado.
Eu não te amo,
Meu corpo te ama.
Obnubilado, alucinado,
Extasiado.
Eu não te amo,
Meu corpo te ama.
Fala sem emitir som,
Implora sem curvar-me.
Eu não te amo,
É meu corpo que te quer!

12 Comentários:

antoniolacarne

Parabéns Isabel e Franciele pelos poemas, são muito interessantes. O "Processo de Kafka" me deixou boquiaberto.

abraços!

Leonardo Schabbach

Por algum motivo obscuro, não estou conseguindo editar a postagem sem que a diagramação se perca, sabe-se lá o que está acontecendo, então vou consertar umas coisas via comentários mesmo.

O segundo poema é da Franciele Minotto, e não Franciele Minoto, como eu tinha colocado.

E tenho mais uma informação sobre a Isabel Furini. Ela é autora de O Livro do Escritor.

contato@brunamaria.com

Tenho muita dificuldade de comentar poesia (e isso pode explicar o porque de, às vezes, eu preferir não me manifestar nas postagens poéticas). Acho que é por estudar poesia e esse universo me parecer tão particular.., não me sinto a vontade e nem mesmo acho que devo.

Mas, à parte esse meu "padrão", confesso que gostei muito do poema "Corpo". O ritmo dele é muito bom e a afirmação de que é o corpo quem ama acaba, na verdade, entregando que talvez seja bem o contrário; o corpo poderia ser até uma desculpa, mas não verdadeiramente o que ama.
(Minha impressão, apenas.)

Parabéns às duas autoras!
Abç!

............dri!

Poesia é mágica não!? Adoro ler poesias em que consigo nitidamente ver ela acontecer!
Embora poesia seja puramente intímo de cada autor.
Gostei particularmente da segunda, O Corpo, é uma poesia sensual, vibrante!

Parabéns as duas autoras.

Adriano Vinagre

Gostei muito das imagens da poesia de Isabel Furini e e do movimento do poema da Franciele Minoto

Any

Muito bom!!!
Gosto de poesia, muito.
Como poesia é momento, sentimento, hj O Corpo me disse mais!

Ariane

Márcia Luz

Vou confirmar o que a Ariane disse.
Parabéns às duas escritoras, mas hoje fui tocada por "O Corpo"!

Inercya

Olá, Leonardo. Mandei um email para você sobre o Texto Alétheia, mas ainda não recebi resposta. Meu nome é Laura Vanessa e meu email é vanessaw_qf@hotmail.com. Gostaria que voce checasse e me desse uma resposta, como eu disse no email, mesmo sendo negativa.
Um abraço.

Leonardo Schabbach

Recebi o e-mail, a resposta só virá para as pessoas após eu parar de receber os textos, algo que deve acontecer até o dia 30/06.

jorge bohaczuk

Gostei da poesia O Processo de Kafka, de Isabel Furina. É o mistério descrito em versos.

antoniolacarne

"O Processo de Kafka" é fascinante! Parabéns pelos dois poemas postados nesse site!

Keep going!

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger