Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

15

A Metamorfose, de Franz Kafka

em 8 de jul de 2010.

Tinha prometido, faz muito tempo, colocar uma resenha sobre o livro A Metamorfose, de Franz Kafka, aqui no blog. Como andei ocupado com a Antologia e com o mestrado, acabei esquecendo, mas hoje finalmente cumpro a promessa e falo deste que é, para mim, um dos melhores livros que já li. O ritmo de leitura é muito agradável, inegavalmente bem escrito, como Kafka sabe bem fazer, a história é rápida e criativa, uma novela não muito grande, que você poderá ler em pouco tempo.

[Aconselho, a quem deseja ler o livro, a tradução da Companhia das Letras de A Metamorfose, é de alta qualidade]

Eu, particularmente, dou muita importância ao início de um livro, àquela primeira frase ou primeiro parágrafo que irão ditar o ritmo de toda a história. Em A Metamorfose, na minha opinião, temos um dos inícios mais marcantes de toda a literatura. "Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de sonhos intranqüilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso" é, de fato, um marco. A história começa assim, sem demais explicações. Gregor simplesmente acorda como um inseto monstruoso e toda a história se desenrola deste ponto.

Naturalmente, a obra nos leva a profundas reflexões. O personagem principal, agora metamorfoseado, começa a se deparar com este mundo novo - e Kafka narra, com muita habilidade, suas impressões, seus pensamentos. Vale lembrar que o próprio Gregor nunca chega a ter a consciência de em que tipo de inseto se transformou, ele apenas nota as mudanças em seu corpo e vai fazendo suas ponderações a respeito disso.

Ainda mais interessante passa a ser a sua relação com seus familiares, que "cuidam" dele após a transformação. O livro deixa claro que a família via Gregor apenas como o sustento da casa, o homem que era capaz de os deixar livres dos problemas financeiros. Isso significa dizer que a família também sofre uma metamorfose devido ao novo estado do personagem principal. A irmã arruma um emprego, os pais decidem aceitar que algumas pessoas se hospedem na casa para que possam arrumar o dinheiro que antes era trazido pelo filho mais velho.

Também é bom observar que toda a obra pode - e deve - ser vista como uma grande metáfora, é claro. A transformação de Gregor em um inseto monstruoso pode simplesmente significar a sua opção por um caminho em sua vida diferente daquele que a família queria, o que os leva a repudiá-lo, como acontece no livro em relação a ele em sua forma de inseto. Desde o começo, os pais o desprezam, a irmã é a única que se dispõem a levar-lhe comida. E mesmo ela, com o tempo, passa a não suportar mais o novo estado do irmão.

Este desprezo dos familiares, inclusive, pode vir da própria experiência do autor Franz Kafka, que sempre demonstrou ter dificuldades no relacionamento com seu pai - algo evidenciado na obra de publicação póstuma Carta ao Pai. Algumas passagens da carta, por sinal, em muito lembram a maneira de o autor descrever como Gregor Samsa se arrastava pela casa, há o uso dos mesmos verbos, o que pode indicar de onde surgiu a idéia para o livro A Metamorfose.

Enfim, a obra é fantástica e provocará, sem sombra de dúvida, engrandecimento e reflexão em quem a ler. Até para evitar acabar com o clímax do próprio livro, não farei minhas considerações a respeito da parte final, que no fundo apenas evidenciam tudo o que falei anteriormente: o desapego da família a Gregor e seu constante afastamento deles. É interessante lembrar também que, durante todo o livro, apesar da situação horrível em que se encontra, Gregor nunca se desespera, narra tudo como um observador, aceitando as coisas naturalmente, mesmo quando nas situações mais difíceis. A Metamorfose é, portanto, uma obra incrível. Como já disse muitas vezes, aconselho a leitura a qualquer um que goste de boa literatura.

15 Comentários:

Adrianna Alberti

Muito boa sua resenha.
Eu acho interessante esses clássicos.
Porém não gostei desse livro, algo não conquistou não me fez feliz.

Leonardo Schabbach

É. E de fato não é um livro lá muito feliz também, hehe, um pouco estranho até. Mas eu gostei muito, a capacidade narrativa e a reflexão que ele traz são sensacionais.

Vanessa

Tanto A Metamorfose quanto O Processo me deixaram muito incomodada. Ambos são livros pertubadores e muito bem construidos. Boa dica. Abraço

ri.ventura

vale conferir também a adaptação (quadrinhos) de Peter Kuper: muito bacana!

twitter.com/rventura_

Marcos Reis

A resenha aborda um ponto de vista interessante a respeito da metáfora que este livro traz, mas como alguns aqui afirmaram, esta leitura também me causou estranhamento, na verdade, nem cheguei ler até ao fim. Mas acredito que este tipo de sensação, quando causada, seja por qual leitura for, é algo bom, afinal, a obra - de uma forma ou de outra - atingiu o leitor.

Bruna Maria

As leituras de Kafka, ao menos as que eu fiz/faço, nunca acolhem. Fica uma espécie de deleite na distância, se isso é possível... Não é o tipo de texto que dá conforto, muito pelo contrário, ele faz com que nós, leitores, tenhamos que pensar; não entrega nada diretamente. Sempre que leio algo novo, ou retorno a algo que não apreendi bem de Kafka, sinto que a leitura será eterna. Vou voltar muitas vezes, e a sensação de desconforto persiste.
"A metamorofose" foi o primeiro livro que li dele. Depois veio "O processo" que, para mim, foi uma leitura maravilhosa, superou até "A metamorfose". Tentei ler "Amerika", mas fracassei na metade - simplesmente não consegui, fiquei muito incomodada. Ultimamente, caminho junto a "Um artista da fome" que é uma grande lição de escrita, mas ainda muito esboroada para mim.
Dizem que "O castelo" é muito bom também, mas esse não li, nem tenho.

Boa escolha de resenha!!

Leonardo Schabbach

Pois é, ainda não li "O Castelo" mas tenha uma vontade absurda de ler, penso em comprar pro esses dias, quem sabe animo e passo ele na frente de outros, hehe.

Luis Narval

Marcos diz acima que a leitura causou-lhe "estranhamento". Bem, normalmente é isso que provoca a grande literatura. Desloca-nos de nossa cômoda e autocondescendente zona de conforto. Claro, não se pode confundir "estranhamento" com bizarrice, apelação, sexismo, linguagem escatológica, etc... Até porque, no mundo de hoje, isso não provoca mais enstranhesa alguma. Virou, como diria, o prato feito do dia.
Devemos, sim, buscar aquilo nos causa "estranhamento". Parabéns, Leonardo, pela resenha e por trazer a baila mais uma vez a discussão sobre um autor e uma das obras fundamentais da literatura moderna.

Phallos

"É bom quando nossa consciência sofre grandes ferimentos, pois isso a torna mais sensível a cada estímulo. Penso que devemos ler apenas livros que nos ferem, que nos afligem. Se o livro que estamos lendo não nos desperta como um soco no crânio, por que perder tempo lendo-o? Para que ele nos torne felizes, como você diz? Oh Deus, nós seríamos felizes do mesmo modo se esses livros não existissem. Livros que nos fazem felizes poderíamos escrever nós mesmos num piscar de olhos. Precisamos de livros que nos atinjam como a mais dolorosa desventura, que nos assolem profundamente – como a morte de alguém que amávamos mais do que a nós mesmos –, que nos façam sentir que fomos banidos para o ermo, para longe de qualquer presença humana – como um suicídio. Um livro deve ser um machado para o mar congelado que há dentro de nós."
Franz Kafka
Quem lê Kafka para ficar feliz está procurando remédio em oficina. Quem quer ficar feliz não deve ler literatura.

Anônimo

Parabéns pela resenha, desperta realmente interesse em lê o livro.

Anônimo

Realmente a obra de Kafka não é de fácil entendimento e muito menos alegre. Mas isso não a torna, nem de longe, ruim. Pelo contrário, ele é o melhor! Simplesmente consegue passar para o papel tudo que nós, seres humanos, em algum momento de nossas vidas, vamos sentir. A Metamorfose é um soco no estômago. Um soco necessário. As boas obras literárias não foram escritas para confortar nem alegrar, foram escritas para impressionar e apunhalar.

Andrea

Eu realmente gostei de ler este livro, eu entendi pela narrativa que o personagem, mesmo antes da transformação, já era visto como um "inseto" para sua família. E gosto no final quando a música o faz sentir que ainda é humano, muito lindo.

Recomendo uma resenha de O Idiota de Dostoievski.

CMachado

Adoro esse livro!!
Minha história de vida tem muito a ver c/ ele.
A princípio ri muuito c/ a bizarrice, depois fui me dando conta do que se tratava, uma crítica social e como as famílias estão inseridas nesse contexto claro, a família de Gregor.

A época de Gregor era uma época de dificuldades econômicas. Eu mesmo e minha família vivemos aqui no Brasil o mesmo tipo de dificuldade.

Sou de uma família de muitos irmãos e meu pai não se aguentava em si de ver meus irmãos em idade de trabalhar em casa sem produzir.

Mas se de um lado, os jovens não tinham vontade p/ tal, por outro, empregos bons era difícil...
Esse pensamento era recorrente antigamente ter filhos p/ ajudar a família.
Total falácia.

Entendi tb, que uma pessoa ativa no passado. Quando não pode mais é jogado p/ escanteio. Como os filhos, que quando seus pais estão idosos, colocam-os no asilo por "não servirem p/ mais nada".
Todas essas questões depreendi da leitura desse livro, adorei ler isso nas entrelinhas. Ou pelo menos foi minha meditação da leitura.

Sua resenha ficou ótima!
Boas leituras!!

Ivanete Nunes de Oliveira

A Metamorfose, de Franz Kafka, também completa 100 anos em 2015. É uma das obras mais importantes de toda a história da literatura, em que o famoso caixeiro-viajante, Gregor Samsa, se transforma em um inseto monstruoso, mostrando o trágico, grotesco e cruel da condição humana.

Leonardo Schabbach

Muito legais seus comentários, Ivanete. Siga acompanhando o blog e comente nas novas postagens também! =)

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger