Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

0

[Indicação de filme] Mais estranho que a ficção

em 20 de set de 2011.

Hoje aproveito o espaço do blog para indicar um filme que considero excelente. Não só pelo boa veia de comédia, como por sua inteligência; por trazer, de uma forma inusitada, algumas idéias legais, algumas coisas em que se pensar. É uma comédia perspicaz e reflexiva, com uma história original e bem trabalhada. Trata-se do filme Mais estranho que a ficção.

O longa é estrelado por Will Ferrel, em um dos poucos papéis inteligentes que eu o vi fazer; em um filme inteligente, digo, já que o personagem dele não necessariamente o é. De qualquer modo, gosto muito do timing dele para comédia, da maneira como ele consegue permanecer sério em algumas situações ridículas ou absurdas, o que, como consequência, gera humor.  Ele, certamente, foi feito para o personagem principal desse filme. A história se inicia quando Harold Crick, auditor da Receita Federal, começa a escutar uma narradora detalhar tudo aquilo que ele faz em sua vida. O filme, paralelamente, mostra-nos uma autora trabalhando em seu livro, uma autora que sofre de bloqueio criativo, inclusive.

A questão é que há uma mistura de ficção e realidade muito legal – e muito atual também, já que as linhas entre o que é real e o que é ficção no mundo pós-moderno são muito tênues; e, de fato, eu acho isso um assunto fascinante, tanto que faz parte dos meus estudos teóricos, por isso também meu maior interesse pelo filme. Enfim, há a escritora que, enquanto narra e escreve, afeta efetivamente a vida de Harold Crick, que não é personagem, é real - ou melhor, é personagem fictício e é real ao mesmo tempo. Ele, completamente surpreendido com tudo o que acontece, procura tentar aprender mais sobre literatura e sobre como lidar com a situação. Neste ponto entra o professor que pretende lhe ajudar, interpretado por Dustin Hoffman.

Bem, não quero falar mais muito sobre a trama do filme, já que não quero estragá-la para quem ainda não viu e tenha decidido vê-lo após a leitura da resenha. O que posso dizer é que, além de ser uma comédia sensacional, ela é aquele tipo de ficção meio absurda e "fantasiosa em algum ponto" de que eu adoro (similar aos contos do Gonçalo Tavares, de que tanto falo no blog). Quem assistir ao filme, além de curtir uma boa história e uma boa comédia, deparar-se-á também com uma excelente peça de ficção, que é capaz de nos levar a refletir.

Portanto, fica a dica! Segue o trailer para quem quiser saber ainda mais.




0 Comentários:

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger