As Aventuras de Pi é plágio da obra de Moacyr Scliar. Divulguem!

Antes de entrar exatamente no que quero falar, deixe-me explicar a situação para quem ainda não a conhece. As Aventuras de Pi, livro mais do que premiado, que gerou a adaptação para o cinema, adaptação essa que faturou quatro estatuetas do Oscar ontem, trata-se de um plágio descarado da obra Max e os felinos, do autor brasileiro Moacyr Scliar.

Leia Mais

4

O Homem e a Palavra - pequena homenagem aos escritores

em 27/03/2012.

De onde vem o impulso de escrever? De onde vem a vontade de contar uma história, de se conectar com o outro e de nele provocar mudança? O que estimula uma pessoa a construir literatura, a tecer mundos tão únicos em uma inerte folha de papel?

Nós somos muitos. Tantos que nem se pode fazer a conta. Escritores de todos os tipos, de todos os gêneros, de todas as idades. No entanto, somos todos escritores, somos seres que sentem a necessidade de nos conectarmos com o mundo por intermédio da palavra, por intermédio dos próprios universos e personagens que criamos.

Alguns, claro, são bem-sucedidos. Outros nem tanto. Outros sequer mostram aquilo que produziram. A maioria, inclusive, nem se atreve a rascunhar as primeiras palavras. E, no entanto, somos todos escritores. E todos temos a necessidade de nos expressar. Seja numa conversa particular, um diálogo entre eu e eu, seja através de livros, artigos ou canções.

O ser humano é expressão, é idéia e é palavra. E nós, escritores, nada mais queremos do que produzir aquilo que é intrinsecamente humano. Queremos humanizar pela linguagem, pelas histórias e pelos personagens.

Escrever, portanto, não é um sonho. Longe disso!

Escrever é apenas uma necessidade.

4 Comentários:

Richard Rosário

Deu até vontade de me tornar um escritor lendo esse texto. Muito bom.

Fico pensando muitas vezes que escrever deveria ser atividade de todos. Pois escrevendo bem ou escrevendo mal, quando você não registra uma palavra sequer, não há nada pra refletir em cima.

Leonardo Schabbach

Mas é exatamente por aí mesmo. A idéia do texto é também mostrar que todos no fundo são um pouco escritores. Faz parte da natureza humana. Quer registrem ou não.

Mas claro que o ideal seria registrar. Seria o pessoal ser estimulado desde de cedo a ler mais e escrever mais também. Mesmo que para sí.

Richard Rosário

Embora não seja tão metódico, tento diariamente escrever alguns pensamentos em um diário que mantenho.

Muitas das escritas são ruins, mas é nelas que eu consigo identificar o que eu tava sentindo no momento e o quanto eu cresci depois disso.

(To dizendo, vou acabar escrevendo um livro! rs)

Isie Fernandes

É possível que nem todos escrevam porque não percebem essa necessidade. Mas alguns, como nós, são viciados em escrever, e os motivos são os mais variados. Ainda não sei por que escrevo. Só sei que sinto essa necessidade de que você falou. Talvez haja respostas em meus livros, chaves para questões escondidas no meu inconsciente. Entretanto, isso não importa. A verdade é que eu gosto de contar histórias e espero que as pessoas me reconheçam por isso. Não estou falando de fama, mas de uma verdade a meu respeito.

Ótima reflexão, Leo. ;)

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger