Quer meu livro de graça? Assine minha newsletter e venha conversar comigo!

Além disso, a newsletter é para ser algo mais pessoal, nela vocês podem responder e conversar diretamente comigo. E eu ainda pretendo enviar uma série de textos exclusivos por lá, sendo alguns mais pessoais, alguns capítulos antecipados de livros que serão lançados, assim como alguns e-books gratuitos.

Leia Mais

22

"As Aventuras de Pi" e o plágio da obra "Max e os felinos", do autor brasileiro Moacyr Scliar. Divulguem!

em 25 de fev de 2013.

Quis retornar às postagens no blog (tentarei novamente manter a frequência, vamos ver se consigo) falando de algo que muito me irritou tem alguns meses, quando descobri o plágio descarado que o autor da obra As Aventuras de Pi cometeu. Irritou-me mais ainda o fato de a cobertura jornalística no Brasil sobre o fato ter sido ridícula, ao ponto de que a maioria das pessoas com quem converso sobre o fato não saber absolutamente nada sobre o acontecido (ou ter apenas uma vaga idéia). Por isso, decidi fazer a postagem, por mais que a notícia, para muitos, possa já não ser tão nova.

Antes de entrar exatamente no que quero falar, deixe-me explicar a situação para quem ainda não a conhece. As Aventuras de Pi, livro mais do que premiado, que gerou a adaptação para o cinema, adaptação essa que faturou quatro estatuetas do Oscar ontem, trata-se de um plágio descarado da obra Max e os felinos, do autor brasileiro Moacyr Scliar. É verdade que o desenvolvimento dado pelo autor Yann Martel é bem diferente do feito pelo autor brasileiro, uma vez que ele se sustenta mais na questão da espiritualidade enquanto Scliar procura criar uma obra com uma maior crítica política.

Ainda assim, o plágio é evidente e absurdo. Abaixo, coloquei um vídeo do próprio Moacyr Scliar, feito antes de sua morte, em que ele fala da situação e explica bem claramente a similaridade das duas obras. Basicamente, fora a forma como as obras são desenvolvidas, uma história trata do convívio de um judeu com um jaguar enquanto a outra fala de um indiano com um tigre.

O que mais me chama atenção em tudo isso, no entanto, é o fato de que um livro, que claramente plagiou a idéia de outro autor, acabou premiado com o Booker Prize Award, que talvez esteja apenas abaixo do Nobel em termos de literatura. E o pior: num primeiro momento, o autor disse que apenas "aproveitou uma boa idéia estragada por um mal escritor brasileiro". Ou seja, completamente absurdo. Depois, é claro, com toda a mídia, o autor do plágio veio a se "retratar" e agradecer Moacyr Scliar pela "inspiração". De qualquer maneira, achei toda a história completamente ridícula. E acho ridículo dar uma prêmio de tão alta estima a alguém que simplesmente roubou a idéia de outro (tenho certeza de que, caso não se tratasse de um autor brasileiro, mas um americano ou europeu, a história teria sido bem diferente).

Além disso tudo, admirou-me muito também, com toda a cobertura do Oscar feita nacionalmente, que isso não tenha vindo à tona com muito mais força, que a mídia nacional não tenha ressaltado o fato de tal obra ter sido "roubada" de um escritor nacional. O tratamento quase silencioso, na minha opinião, apenas indica, uma vez mais, a falta de capacidade do povo brasileiro de valorizar os seus próprios talentos.

Enfim, era mais ou menos isso que queria colocar nessa postagem. E pedir para que todos que se indignam como eu também divulguem a história. E que não me venham dizer que o autor apenas se "inspirou" mesmo no Scliar e que isso é normal (como o próprio Scliar, humildemente, coloca no vídeo), porque não é. É o mesmo que, digamos, caso Saramago não fosse um autor mundialmente conhecido, alguém se aproveitasse disso e fizesse uma história em que todo mundo também ficasse cego, inesperadamente, mas desenvolvesse de forma diferente. Isso é absurdo, uma vez que, em alguns tipos de história, é a idéia que dá início ao livro onde se encontra toda a genialidade; o resto do desenvolvimento é quase natural, dependendo dos personagens e das situações que o autor quer passar. Como um trouxe à tona questões mais espirituais, ele naturalmente acabou atingindo um público maior do que o da obra original (Max e os felinos), que tratava de um momento político específico. Além disso, é claro, um autor estrangeiro, publicado por uma grande editora estrangeira, possuirá sempre maior visibilidade (por mais triste que isso possa parecer).

Abaixo segue o vídeo comentado anteriormente:


22 Comentários:

Camila Deus Dará

Eu não sabia dessa história. Fiz uma resenha do filme hoje em meu blog e só depois encontrei essa informação.
Fiz um PS em baixo de minha resenha falando sobre isso e deixei seu blog para mais detalhes do assunto.

Estou passada!


Camila- Ninho de Fogo

Leonardo Schabbach

Pois é. A história toda é um pequeno absurdo mesmo. E triste quase não falarem nada no próprio país do escritor.

Rogério H.P Pontenegro

Moacyr Scliar quis processar yann martel por plagio.

Basta digitar essa frase de cima que vocês encontrarão uma notícia na folha de São Paulo.

Isie Fernandes

Fiquei abismada, pois não sabia nada sobre a questão. E o Moacyr foi mesmo humilde, até demais. Em minha opinião, ideias podem coincidir, e ideias podem ser aproveitadas sem caracterizar plágio. Mas o fato é realmente claro.

Por que o assunto não repercutiu na cobertura do Oscar? Isso aqui é Brasil!

Isie Fernandes - de Dai para Isie

Ronperlim

Esses são os caras de pau e depois se sentem. É bom que o brasileiro fique atento a forma como a maioria nos enchergam. Além de roubar Scliar, o autor foi cínico e desprezá-lo.

Jamais comprarei um livro desse cara, pois, é valorizar o crime.

Tiffany Noélli

Eu fiquei sabendo disso e achei um plágio mega descarado!! Tem razão, é incrível que a área jornalística no Brasil só comenta o que eles querem, No caso do eles acham bonito comentar somente de violência e copa do mundo. Chega a ofender saber saber que um autor nosso brasileiro foi roubado no popular falando NA CARA DURA!!! Deveria se abrir é um baita processo contra quem fez isso. Moacyr Scliar que merece as honras por uma história tão emocionante e delicada... Bjs Leo!

Anônimo

Por isso eu escrevo em ingles. Sempre terei leitores. Em portugues quase ninguem me lia e, quando liam, so criticavam. Agora sou publicado e recebo criticas positivas. O idioma influencia, e muito, a carreira do escritor.

Camila

Na verdade eu não sei se isso conta mesmo como plágio, já que não há direitos autorais sobre ideias. Se for assim, então o livro "O talentoso Ripley" é um plágio de "Os Embaixadores" de Henry James, já que os dois falam de um americano que vai resgatar outro que se "perdeu"na Europa. Se você for reparar, quase toda história é uma recontagem de outra história, e sobraram bem poucas ideias totalmente originais no mundo. A diferença é a forma como se conta. Mas eu achei desagradável nessa história foi o Martel ter desdenhado um livro que ele nem leu, e tentar dar a impressão de que estaria "salvando" uma boa ideia.

José Lopes Cabral

Infelizmente tem sempre alguém querendo arrebatar para si, uma inspiração que não é capaz de ter.

José Lopes Cabral

Infelizmente tem sempre alguém querendo arrebatar para si, inspiração que não tem a sensibilidade de ter.

Lauro Schneider

É fato! Poucos sabem do ocorrido! Ressalta-se a dignidade do autor brasileiro, em não levar a conversa tanto para a questão do plágio, nem processar o plagiador! Fiquei triste, pois é um trabalho sério de alguém que se empenhou tanto e dá nisso.

ingrid rayane

achei absurdo além de roubar ainda disse q teve uma inspiração de uma obra de arte orrivél hj em dia estamos perdendo oq tínhamos antes a nossa cultura brasileira esta se perdendo pelo plagio hj em dia ninguém tem ideia originais e tudo plagio e acaba q de plagio em plagio ninguém sabe de quem e a ideia ....cm a historia q ta viranduh polêmica no Twitter sobre o Marcos Mion ter roubado a ideia do Luciano Ruck agente nao vamos melhorar se a gente não defendermos nossa cultura ela vai e perder através do plagio apenas só tenho 12 anos e já sei meus direitos e vou lutar por ele mas existi um ditado assim "Juntos Somos Mas" então temos q lutar juntos pelo nossos direitos vamos correr atrás do q e nosso não vamos deixar uns estrangeiros roubarem nossas ideias....(escrevi td errado e abreviado do geito avacalhado mas e assim q eu escrevo okay...)

rrguinancio

Somente hoje fiquei sabendo disso, se a imprensa anunciou, não o fez como devia, visto que a maioria das pessoas nada soube. Sinto-me indignada...

Kyssila Melo Macêdo

Quem diria??? Muito interessante. Uma pena que o plágio tem sido coisa tão banal, desde a educação básica até a graduação, a cultura do "copia e cola" ocorre sem penalidades.
http://kyssilamelo.blogspot.com
http://apenasdevaneiosliterarios.blogspot.com

Dani Flores

É muito triste ao ler a postagem, perceber que as pessoas valorizam mais a cultura estrangeira e esquecem de nossos mestres literatos, que tanto contribuem para a cultura de nosso país. Precisamos nos apropriar mais das nossas obras literárias para que possamos defender e dar o devido valor a quem realmente merece.

Pâmella Alves

Não li "Max e os felinos" tampouco "As aventuras de PI", mas agora sinto muita vontade de ler as duas, principalmente a primeira porque sempre me interessei pelas crônicas de Moacyr Scliar, e também por ser uma obra política, quero também ler a segunda para verificar esse plágio com meus próprios olhos! Como é triste a declaração que fez o autor da tão visualizada obra fazer uma declaração tão medíocre sobre o autor brasileiro. Mais triste ainda é saber que autores estrangeiros são muito mais lidos que brasileiros, até mesmo no Brasil.

Postar um comentário

Participe você também. Sinta-se convidado a postar as suas opiniões. Com a sua ajuda, o blog se tornará ainda melhor!

 
Copyright© 2010 Na Ponta dos Lápis
Apoio: Literatura Fantástica
Tema original "Solitude" Modificado por Mundo Blogger